50 ANOS DE HISTÓRIA

ao serviço do Evangelho entre a comunidade lusófona


Início » Sobre Nós » 50 anos de história

Tudo começou no ano de 1965, pois tinha nascido no coração de uma meia dúzia de irmãos o sonho de terem um pastor de língua portuguesa entre eles para poderem cultuar a Deus na sua língua materna e no seu ambiente cultural, podendo assim melhor alcançar para Cristo os compatriotas a viver e trabalhar em França. Entre esses irmãos estavam a família Rodrigues (Rosa e Luciano), a irmã Elvira e a sua filha, o irmão Cadete e o seu filho… eles oraram e Deus, pela sua infinita bondade, respondeu.

Em 1966, o Pr. Artur Rodrigues chegou a Paris e, apesar de ter a sua saúde debilitada, sentiu o impulso do Espírito Santo para começar a reunir as ovelhas dispersas. Em consequência, começaram a cultuar a Deus na língua de Camões, no dia oito de Outubro desse ano, realizando-se o primeiro culto em terras parisienses numa casa de oração emprestada, em Gambeta. Outras casas foram sendo cedidas em Vincennes, Saint-Denis e Saint-Ouen até que a Comunidade começou a reunir-se em Pleyel onde, num terreno alugado com a ajuda de um crente francês, se construiu um edifício que, em face da necessidade e urgência, não preenchia todas as condições. A Igreja ficou vários anos neste espaço, o qual foi oficialmente inaugurado no dia 25 de Julho de 1971.

Por Paris passaram cinco servos de Deus que lideraram a Igreja até à nossa chegada:

    • Pr. Artur da Silva Rodrigues – 1966 a Setembro de 1974
    • Pr. Manuel Pinheiro Marques – Janeiro de 1971 a Abril de 1988
    • Pr. Domingos Dias Barradas – Abril de 1988 a Setembro de 1996
    • Pr. José António Bernardo – Setembro de 1996 a Junho de 2000
    • Pr. Manuel Pinho dos Santos – Junho de 2000 a Outubro de 2006

Não posso deixar de louvar a Deus pelas suas vidas, pela sua dedicação, pela sua fidelidade ao Mestre e por, sem vacilar, anunciarem Jesus Sempre. Foi, sem dúvida, a sua dedicação ao Mestre e à sua Igreja que nos permitiu chegar até aqui e nos permite continuar a sonhar e a construir o amanhã.

Houve crescimento espiritual, a obra expandiu-se e o Senhor, para responder às necessidades, foi levantando obreiros no meio da sua Igreja. Assim, chamou o irmão Almeida, que cuidava da Igreja em Cambrai/Roubaix, vindo posteriormente cooperar em Paris; o irmão Manuel Pinho dos Santos, que foi separado para servir ao Senhor em Tours, a 1 de Setembro 1974; o irmão António Trabulo, enviado à Escola Bíblica, em Janeiro de 1975, tendo, em Dezembro desse ano, tomado conta do trabalho em Mantes-la-Jolie; o irmão Manuel Lourenço, que, em Junho de 1975, assumiu a responsabilidade do trabalho em Cambrai; o irmão José Ferreira, enviado, em Setembro de 1979, para Annecy; o irmão Fernando Magalhães, também enviado, em 1982, para Annecy, e o irmão Samuel Rodrigues, que, em Outubro de 1984, começou a servir ao Senhor a tempo inteiro na cidade de Paris.

Mais tarde, outros mais serviram ao Senhor, tais como François Carreira, António José, Cristina Trabulo, Filipe Andrade e Cristiano Esteves, todos enviados ao Instituto Bíblico pela Igreja de Paris. Esta não é, certamente, uma lista exaustiva até porque muitos outros obreiros foram chegando e partindo, alguns vindos de Portugal, outros do Brasil – como foi o caso do Pr. David Rocha. Com a dedicação de tantos, a Obra de Deus foi crescendo e avançando, chegando até à Guiné Bissau, na pessoa da missionária Josefa Fernandes, enviada ao Instituto Bíblico pela Igreja em Paris.

Trabalhos missionários e eclesiásticos foram abertos um pouco por toda a Europa, mas queremos destacar aqueles que se desenvolveram em terras gaulesas: Roubaix e Cambrai, Tours e Blois, Saint-Etienne, Lyon e Grenoble, Mantes la Jolie, Montargis, Annecy, Etampes assim como em várias cidades limítrofes de Paris: Bobigny, Versailles, Champigny, Les Ullis, Viry-Chatillon, entre outras.

Seria injusto não falar daqueles que, embora não servindo a Deus a tempo integral, contribuíram com muito do seu tempo e esforço para a obra do Mestre. Lembramos, assim, o primeiro ancião da Comunidade, o irmão Cadete, passando pelos primeiros diáconos, o irmão Pinho e o irmão Lemos; devemos, igualmente, lembrar os irmãos José Rodrigues, Artur Mortágua, Marciano Gomes, Jerónimo Afonso, Luciano Rodrigues, Francisco Dias, Camilo Vidal e tantos outros que deram o seu contributo e colaboração, sempre tendo no seu espírito que Jesus merecia o nosso melhor e era o seu foco.

No ano de 1980, a Comunidade deu mais um enorme passo de fé ao receber a notícia da expropriação do terreno em Pleyel – sabendo que não poderiam deixar de anunciar o nome de Jesus, os irmãos avançaram para a compra do futuro Templo de Bethel, na cidade de Saint-Ouen. Este espaço, inaugurado a 11 de Abril de 1982, tornou-se a casa da Cristo Vive – Assembleia de Deus, durante mais de trinta e cinco anos, até Dezembro de 2017.

Hoje, pela graça de Deus, a Igreja, como organismo vivo, continua avançando e expandindo-se. Temos cinco lugares de culto na região de Paris, missões nacionais em Roubaix, Lyon, Clermont-Ferrand, Blois, Tours e missões internacionais no Reino Unido, com duas Igrejas em Londres. Providenciamos ainda apoio missionário em Portugal, na Guiné-Bissau e no Equador e continuamos com uma grande vontade de expandir a obra do Mestre.

Pela graça de Deus, a Igreja conta, hoje, com cerca de 400 membros na França e mais de uma centena de membros no Reino Unido – até aqui o Senhor nos tem ajudado!

Seria ainda injusto não referir aqueles que continuam a levar avante este trabalho e estão na frente desta obra, servindo como obreiros de tempo inteiro: Pr. Cristiano e esposa Sónia Esteves, em Blois e Tours, o Pr. Jefferson e esposa Margarida Martins, em Lyon, o Pr. Humberto e esposa Paula Teixeira, em Clermont Ferrand, o Pr. David e esposa Filipa Catarino, em Londres e o Pr. André e esposa Solange Mauricio, em Croydon/Londres; os que continuam a disponibilizar o seu tempo para servir as igrejas locais como ministros de tempo parcial, como os presbíteros Marciano e esposa Rosa Gomes, Jerónimo e esposa Ester Afonso, Gil e esposa Judite Dias e Fernando e esposa Judite Magalhães e os diáconos Jaime e esposa Antónia Martinho, Victor e esposa Elizabethe Bento, André e esposa Kátia Domes, Paulo e esposa Fabiana Ferreira, João e esposa Noémia Peres e Francisco e esposa Ester Carvalho, sem esquecer a secretária da nosso Conselho de Administração e Ministério, a irmã Christina Trabulo.

Os desafios para o futuro são imensos, mas acreditamos que o mesmo Deus que esteve connosco no passado está connosco hoje e estará, sem qualquer sombra de dúvida, connosco amanhã – a Ele seja dada a glória!